MENU

História Resumo

Mitologia Grega

Mitologia grega é o estudo relacionado aos mitos da Grécia Antiga que em sua época os gregos consideravam como religião e era usada para explicar as origens do mundo com uma ampla variedade de deuses, heróis e outras criaturas mitológicas. Ao longo dos tempos, esses mitos foram expressos através de uma extensa coleção de narrativas que constituem a literatura grega e tem como principais obras os poemas épicos Ilíada e Odisseia de Homero e também a Teogonia e Os trabalhos e os Dias de Hesíodo.

A mitologia grega não possui um cronograma absoluto, mas podemos montar uma cronologia da história mitológica dividindo-a em três grandes períodos:

  1. Mito da origem ou da era dos deuses: é a Teogonia, o nascimento dos deuses, os mitos sobre a origem do planeta, dos deuses e da raça humana.

  2. Era em que os homens e os deuses se mesclam livremente: história das primeiras interações entre deuses, semideuses e mortais juntos.

  3. Era dos heróis: onde a atividade divina ficou mais limitada. Período das lendas heroicas como a guerra de Tróia e suas consequências.

A mitologia Grega é muito ampla e possui muitos personagens desde os deuses primordiais, titãs e deuses dos olímpicos passando pelos semideuses, heróis entre vários outros. Abaixo segue um pequeno resumo da mitologia grega e seus principais deuses e heróis.

Tudo se inicia com o Caos, o vazio primitivo e escuro que precede toda a existência. Dele, surge Gaia (a personificação da Terra), e outros seres divinos primordiais: Eros (Amor, princípio organizador do mundo), Tártaro (mundo inferior), Érebo (a personificação da escuridão), predominando sobre as regiões do espaço logo acima dos mantos noturnos de sua irmã Nix (a personificação da noite).

Gaia gerou sozinha Urano(Céu), Pontos(Mar) e Óreas(Montanhas). Então Urano fertiliza Gaia e dessa união nasce primeiramente os titãs; e logo os Ciclopes. Conduto, Urano, não os permitiu sair do interior de Gaia e eles permaneceram obedientes ao pai. Somente Cronos, o mais jovem, castrou o seu pai com uma foice produzida das entranhas da mãe Gaia e lançou seus genitais no mar, produzindo a deusa Afrodite e libertando, assim, todos os irmãos presos no interior da mãe. Sem a interferência do pai, Cronos tornou-se o rei dos titãs com sua irmã Reia como cônjuge e os outros Titãs como sua corte.

Quando Cronos tomou o lugar de Urano, tornou-se tão perverso quanto o pai. Com sua irmã Reia, procriou os primeiros deuses olímpicos, mas logo os devorou enquanto nasciam pelo medo de que um deles o destronasse. Mas Zeus, o filho mais novo, com a ajuda da mãe, conseguiu escapar do destino e travou uma guerra contra seu progenitor, cujo vencedor ganharia o trono dos deuses. Ao final, com a força dos Ciclopes, Zeus venceu e condenou Cronos e os outros Titãs na prisão do Tártaro, depois de obrigar o pai a vomitar seus irmãos.

Depois dessa destituição dos Titãs, um novo panteão de deuses e deusas surgiu. Entre os principais deuses gregos estavam os olímpicos, que residiam no monte Olimpo, montanha mais alta da Grécia, abaixo dos olhos de Zeus. No entanto, os deuses gregos, embora poderosos e imortais eram essencialmente humanos, tinham grandezas e fraquezas humanas como violência, ciúme, ódio e inveja, embora fossem donos de corpos físicos ideais. Os deuses também se relacionavam com humanos em histórias de amor entre um deus e uma mortal surgindo os semideuses ou heróis como Hercules, Aquiles e Perseu.

Abaixo a relação dos Deuses Olímpicos, com seus nomes gregos e romano e suas funções:

A mitologia grega tem exercido uma grande influência na cultura, nas artes e na literatura da civilização ocidental principalmente no período do renascimento e permanece como parte da herança e da linguagem do Ocidente.