MENU

30/03/2017

Álbum de fotos

Brasiléia - Acre AC - Brasil

Viagem Volta ao Mundo - Just Go #JustGo


Brasiléia - Acre AC - Brasil - Viagem Volta ao Mundo - Just Go #JustGo
Brasiléia - Acre AC - Brasil - Viagem Volta ao Mundo - Just Go #JustGo
Brasiléia - Acre AC - Brasil - Viagem Volta ao Mundo - Just Go #JustGo
Brasiléia - Acre AC - Brasil - Viagem Volta ao Mundo - Just Go #JustGo
Brasiléia - Acre AC - Brasil - Viagem Volta ao Mundo - Just Go #JustGo
Brasiléia - Acre AC - Brasil - Viagem Volta ao Mundo - Just Go #JustGo
Brasiléia - Acre AC - Brasil - Viagem Volta ao Mundo - Just Go #JustGo
Brasiléia - Acre AC - Brasil - Viagem Volta ao Mundo - Just Go #JustGo
Brasiléia - Acre AC - Brasil - Viagem Volta ao Mundo - Just Go #JustGo



Brasiléia


Brasiléia é um município brasileiro localizado no sul do estado do Acre. Sua população, estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2014, era de 23 378 habitantes. Sua área é de 3916,507 km² (com uma densidade de 5,46 h/km²).
Localizado a 237 km ao sul de Rio Branco, na fronteira com a Bolívia, tem limites com os municípios de Epitaciolândia, Assis Brasil, Sena Madureira e Xapuri. Apesar de instituída como área de livre comércio, a mesma ainda não foi regulamentada. Atualmente, registra-se forte dependência comercial com o vizinho município boliviano de Cobija, contrariando o ocorrido em décadas passadas, quando o fato era o inverso.




Acre AC


Acre é uma das 27 unidades federativas do Brasil.[8] Localiza-se no sudoeste da Região Norte e faz divisa com duas unidades federativas: Amazonas ao norte e Rondônia a leste; e faz fronteira com dois países: a Bolívia a sudeste e o Peru ao sul e a oeste.[9] Sua área é de 164 123,040 km²,[2] que equivale aproximadamente ao Nepal.[10] Essa área responde inferiormente a 2% de todo o país.[11] De acordo com os geógrafos, se trata de um dos estados com menor densidade demográfica do Brasil e foi o mais recente que os brasileiros povoaram de maneira efetiva.[11] Nele localiza-se a extremidade ocidental do Brasil.[nota 1] A cidade onde estão sediados os poderes executivo, legislativo e judiciário estaduais é a capital Rio Branco.[12] Outros municípios com população superior a trinta mil habitantes são: Cruzeiro do Sul, Feijó, Sena Madureira e Tarauacá.
Somente em 1877 teve início no Acre — que naquela época pertencia à Bolívia — a chegada da quase totalidade dos migrantes que, oriundos do Nordeste do Brasil, mais precisamente do Ceará, colonizaram a região para buscar a borracha que se encontrava na Floresta Amazônica.[nota 2] Nas últimas décadas do século XIX, moravam cinquenta mil brasileiros na região.[11] Os seringueiros, lutaram com as tropas para realizar a ocupação da região e, em 1903, ao lado do último líder da Revolução Acriana, o gaúcho Plácido de Castro, foram os autores da proclamação do Estado Independente do Acre.[14] Então, a região foi ocupada militarmente pelo governo brasileiro e depois o Brasil estabeleceu diálogo diplomático com a Bolívia.[14] Em consequência, o Brasil assumiria o controle do Acre.
O governo brasileiro decidiu criar o Território Federal do Acre em 1904.[15] Por força da lei federal nº 4.070, o presidente do Brasil João Goulart elevou o Território Federal do Acre à categoria de Estado em 1962.[16] Foi promovido pela borracha produzida que o estado tinha sido ocupado e se desenvolveu. A produção de borracha declinou desde 1913.[17] Porém, ainda em tempos atuais, o Acre é um dos estados brasileiros que mais produzem e exportam borracha (hévea-latex coagulado).
A altitude média de 200 metros, sendo uma forma de relevo com definição de planalto é o relevo dominante da maioria do território acriano.[19] Juruá, Tarauacá, Muru, Embirá e Xapuri são os rios de maior importância do estado.[19] As principais atividades econômicas do estado são o trabalho de extrair borracha e castanha, a pecuária e a agricultura.[20] Com duas horas anteriores ao fuso horário de Brasília (DF), nele está localizada a última localidade brasileira a ter visão do sol nascente, na serra da Moa, na fronteira com a República do Peru. A intensidade do extrativismo vegetal, que tem atingido o ponto mais alto no século XX, constituiu-se em atração para os brasileiros que, vindos de uma variedade de regiões, chegaram ao estado. Misturando tradições vindas da Região Sul do Brasil, de São Paulo, da Região Nordeste do Brasil e dos grupos étnicos indígenas, deu-se o surgimento de uma culinária com muitas diversidades, que põe junto a carne-de-sol com o pirarucu, peixe característico da região, pratos que acompanham-se com tucupi, molho cujo ingrediente é a mandioca. O transporte fluvial, que se concentra nos rios Juruá e Moa, no oeste do estado, e Tarauacá e Envira, no noroeste, é um dos mais importantes meios de transporte, junto à BR-364, ligando de Rio Branco até Cruzeiro do Sul e que o governo brasileiro recentemente asfaltou e construiu as pontes onde antigamente era preciso atravessar por meio de balsas.