A divisão estadual após a Proclamação da República


Em 1889, com a Proclamação da República no Brasil, grandes mudanças ocorreram. A divisão do país em províncias foi substituída pela divisão em estados, em que cada estado teria a sua própria constituição, passando a ser administrado por governadores. Veja como ficou essa divisão no mapa a seguir.

A região que compreende o chamado Norte Velho (nordeste do Paraná) ficou mais ligada a São Paulo devido ao caminho das tropas e à ferrovia que cortava a região. Essa ligação persistiu quando da ocupação e colonização do chamado Norte Novo, abrangendo desde Cornélio Procópio até a região de Londrina e Maringá, que perdurou até o final do século XX.

A colonização do norte paranaense esteve a cargo da Companhia de Terras Norte do Paraná, fundada por empresários ingleses que promoveram o avanço da chamada “marcha do café”, que vinha de São Paulo.


Mapa dos estados em 1889

 Mapa dos estados em 1889

Mapa dos estados em 1889



Quase na metade do século XX ocorreram algumas mudanças muito significativas na configuração dos estados brasileiros. Em 1943, o Brasil entrou na Segunda Guerra Mundial, conflito que durou de 1939 até 1945 e envolveu quase todos os países do mundo.

O governo federal brasileiro decidiu, nesse período, desmembrar sete territórios para administrá-los diretamente. Esses territórios eram considerados estratégicos, pois se encontravam em pontos importantes nas fronteiras do país. Eram eles: Acre, Amapá, Rio Branco, Guaporé, Ponta Porã, Iguaçu e o arquipélago de Fernando de Noronha.


Brasil – Divisão político-administrativa em 1943

 Brasil – Divisão político-administrativa em 1943

Brasil – Divisão político-administrativa em 1943



O Território Federal do Iguaçu foi criado em 13 de setembro em 1943, por intermédio do Decreto-Lei n.o 6.550, de 31 de maio de 1944, que estabelecia a divisão do território em cinco municípios: Foz do Iguaçu, Clevelândia, Iguaçu, Mangueirinha e Chapecó.

Esse território abrangia o oeste e sudoeste do Paraná e a região oeste de Santa Catarina, correspondendo a 65 854 quilômetros quadrados, sendo 51 452 quilômetros quadrados oriundos do estado do Paraná e 14 402 quilômetros quadrados provenientes de Santa Catarina.

O governo federal criou o Território do Iguaçu estabelecendo seus limites territoriais, mas não definiu a capital. Somente em 21 de setembro do mesmo ano, com o Decreto-Lei n.o 5.839, a cidade do Iguaçu foi instituída como a capital do Território.

O então vilarejo de Laranjeiras (ex-Vila Xagu), passou a se chamar Iguaçu, tornando-se a nova capital. O governador do novo território só se instalou na capital em 1946, governando no local por apenas 6 meses.


Território do Iguaçu

 Território do Iguaçu

Território do Iguaçu



Terminada a Segunda Guerra Mundial, em 1945, cinco territórios foram mantidos ligados diretamente ao governo federal: Acre, Amapá, Fernando de Noronha, Rio Branco (que foi renomeado como Roraima) e Guaporé (que foi batizado de Rondônia em homenagem ao Marechal Rondon, personagem que teve grande atuação no contato com os indígenas da região).

Ponta Porã e Iguaçu voltaram a fazer parte dos estados do Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina. O território de Fernando de Noronha somente foi incorporado ao estado de Pernambuco em 1988.




Conteúdo correspondente: