Áreas de preservação do estado do Paraná



Ao longo dos séculos, a vegetação nativa tem sido devastada em muitos lugares do mundo. No estado do Paraná também ocorreu principalmente no período de ocupação inicial de suas terras, para formar campos de pastagens, plantações, usinas hidrelétricas, queimadas e até construções de cidades e estradas.


Área rural desmatada em Foz do Iguaçu.


 Área rural desmatada em Foz do Iguaçu. A retirada da cobertura vegetal, em relevo de declive, irá provocar a erosão do solo.

Área rural desmatada em Foz do Iguaçu. A retirada da cobertura vegetal, em relevo de declive, irá provocar a erosão do solo.

Área rural desmatada em Foz do Iguaçu – Imagem em Alta Resolução





Unidades de conservação


Para frear a degradação dos ambientes naturais, disciplinar o processo de ocupação e assegurar a sustentabilidade do uso dos recursos naturais, foram criadas leis de preservação ambiental e identificadas, pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), as áreas que devem ser protegidas em toda a sua diversidade biológica.

Essas áreas são chamadas de unidades de conservação. Em algumas delas são desenvolvidas atividades controladas de lazer e ecoturismo, mas sempre respeitando a biodiversidade existente. Em outras, não é nem permitida a entrada de visitantes, ficando restrita a pesquisadores.

O Paraná possui 63 áreas de proteção e de conservação de uso sustentável e unidades de proteção integral estaduais, sendo 10 federais.

Essas áreas estão classificadas em dois grupos:

  • unidades de proteção integral;
  • unidades de uso sustentável.

As unidades de proteção integral são áreas que devem ser mantidas sem nenhuma modificação ou interferência humana. Classificam-se em: estações ecológicas, reservas biológicas, parques nacionais, monumentos naturais, refúgios de vida silvestre.

Vamos conhecer algumas das unidades de proteção integral existentes no Paraná.



Parque Nacional do Iguaçu - O Parque do Iguaçu foi criado por decreto estadual em 1916. Em 1939, passou a Parque Nacional e no ano de 1986 foi tombado pelo Patrimônio Mundial Natural da Humanidade. O parque abrange terras no Brasil e na Argentina e tem esse nome por incluir em sua área o rio Iguaçu.

Voltado para o turismo ecológico, além da beleza cênica das Cataratas do Iguaçu, o parque tem como objetivo a preservação e a proteção dos ecossistemas naturais e é palco de pesquisas científicas da fauna e da flora ali existentes. Sua diversidade biológica é grande: o veado-mateiro, a onça-pintada, o papagaio-do-peito-roxo, considerados em extinção, encontram nesse parque o seu último refúgio na região, onde também se desenvolvem atividades educativas.


Parque Nacional do Iguaçu – Paraná


 Parque Nacional do Iguaçu – Paraná

Parque Nacional do Iguaçu – Paraná

Parque Nacional do Iguaçu – Paraná – Imagem em Alta Resolução




Área de abrangência do Parque Nacional do Iguaçu – Paraná.


 Área de abrangência do Parque Nacional do Iguaçu – Paraná.

Área de abrangência do Parque Nacional do Iguaçu – Paraná.

ea de abrangência do Parque Nacional do Iguaçu – Paraná – Imagem em Alta Resolução


Curiosidade: Alberto Santos Dumont, o pai da aviação, teve um papel importante na criação do Parque Nacional do Iguaçu. Quando esteve de passagem pela cidade de Foz do Iguaçu, em 1916, conheceu a vasta área verde que na época pertencia ao fazendeiro uruguaio Jesus Val. Impressionado com a riqueza natural da região, usou de sua influência e declarou para o Jornal O Estado de S. Paulo: “O Iguaçu, sem nenhum exagero, é uma maravilha“; e junto ao governo paranaense contribuiu para que essa área fosse desapropriada e se transformasse em patrimônio público, com o objetivo de preservação do local.



Parque Estadual do Guartelá - Criado em 1992 para preservar os ecossistemas ali existentes, oferece aos visitantes a prática do turismo ecológico para apreciar os canyons e as cachoeiras e inúmeras formações rochosas. O Parque está situado no município de Tibagi e a origem do seu nome, segundo a lenda, vem da expressão “Guarda-te lá, que cá bem fico”, dita por um morador da região ao prevenir seus companheiros de um ataque indígena.


Parque Estadual do Guartelá


 Parque Estadual do Guartelá

Parque Estadual do Guartelá

Parque Estadual do Guartelá – Imagem em Alta Resolução



Parque Estadual Serra da Baitaca - Abrange os municípios de Piraquara e Quatro Barras e tem por objetivo garantir a conservação da biodiversidade biológica do bioma da Mata Atlântica.


Parque Estadual Serra da Baitaca


 Parque Estadual Serra da Baitaca

Parque Estadual Serra da Baitaca

Parque Estadual Serra da Baitaca – Imagem em Alta Resolução



Parque Estadual de Vila Velha - Está situado na região dos Campos Gerais, a 80 km de Curitiba e 20 km de Ponta Grossa. Foi criado em 1953 com o nome de Vila Velha, que na língua indígena era Itacueretaba (“cidade extinta de pedras”). O parque é aberto à visitação, onde é possível apreciar as esculturas de formações areníticas que foram esculpidas por agentes erosivos da natureza, como ventos, águas das chuvas e variação de temperatura ao longo das eras geológicas.


Parque Estadual de Vila Velha


 Parque Estadual de Vila Velha

Parque Estadual de Vila Velha

Parque Estadual de Vila Velha – Imagem em Alta Resolução



Estação Ecológica Ilha do Mel - Tem como objetivo a preservação da natureza e a realização de pesquisas científicas. É permitida a entrada de turistas, não excedendo um número determinado de pessoas por dia. Lá se encontram a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, o Morro do Farol e a Gruta das Encantadas.


Estação Ecológica Ilha do Mel


 Estação Ecológica Ilha do Mel

Estação Ecológica Ilha do Mel

Estação Ecológica Ilha do Mel – Imagem em Alta Resolução



Reserva Biológica de Perobas - Foi criada em 2006 com o objetivo de preservar animais, vegetação e as nascentes dos afluentes do Rio Ivaí. Recebeu esse nome em homenagem à existência da árvore peroba nessa região. Está localizada nos municípios de Tuneiras do Oeste e Cianorte.


Refúgio Biológico Bela Vista - É uma unidade de proteção ambiental, criada nos anos 1970 para receber milhares de animais “desalojados” pela construção da usina de Itaipu e alagamento das terras lindeiras. Nesse refúgio, a Itaipu pesquisa a produção de mudas florestais, a reprodução de animais silvestres em cativeiro e a recuperação de áreas degradadas. Ainda, promove a educação ambiental dos visitantes e de escolares.


Refúgio Biológico Bela Vista


Refúgio Biológico Bela Vista

Refúgio Biológico Bela Vista

Refúgio Biológico Bela Vista – Imagem em Alta Resolução





Unidades de uso sustentável


Já as unidades de uso sustentável têm como objetivo permitir o uso racional dos recursos naturais por comunidades locais, mantendo a conservação da biodiversidade da área, assegurando os meios de vida e cultura dessas populações.

Classificam-se em:

  • Área de Proteção Ambiental (APA);
  • Área de interesse ecológico;
  • Floresta nacional;
  • Reserva extrativista;
  • Reserva da fauna;
  • Reserva de desenvolvimento sustentável;
  • Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN).

Vamos conhecer agora algumas unidades de uso sustentável do Paraná.


Área de Proteção Ambiental de Guaratuba (APA Guaratuba e Matinhos) - essa unidade abrange parte dos municípios de Guaratuba, Matinhos, São José dos Pinhais, Tijucas do Sul, Morretes e Paranaguá, e tem por finalidade promover o uso racional dos recursos ambientais da região com a ocupação ordenada do solo, a proteção da rede hídrica, dos remanescentes da Floresta Atlântica, dos manguezais, dos sítios arqueológicos e dos animais, bem como disciplinar o uso turístico e garantir a qualidade de vida das comunidades caiçaras e da população local.

APA da Serra da Esperança - a região é montanhosa e rica em nascentes formadoras dos rios importantes que abastecem as cidades próximas da serra, como os municípios de Inácio Martins e Irati. Na serra encontram-se as principais cachoeiras da região e aves, como o gavião-pombo e a harpia.


APA da Serra da Esperança


 APA da Serra da Esperança

APA da Serra da Esperança

APA da Serra da Esperança – Imagem em Alta Resolução



Reserva Particular do Patrimônio Natural de Salto Morato - a reserva é uma RPPN localizada em Guaraqueçaba. Morato é uma vila com cerca de 100 habitantes dentro da reserva.

É um tipo de conservação ambiental que partiu da iniciativa do proprietário das terras, que por ato voluntário buscou o órgão responsável – Ibama – desejando transformar parte da área particular em reserva de proteção da biodiversidade ali existente.

A reserva de Salto Morato existe desde 1994. Era uma fazenda e hoje pertence à Fundação o Boticário de Proteção à Natureza, a qual protege, em seus limites, grande variedade e diversidade de ambientes aquáticos, assim como da fauna e da flora do bioma da Mata Atlântica. Ali são desenvolvidos programas de educação ambiental com aulas práticas e cursos. O programa regular de visitação da reserva tem contemplado 8 mil visitantes ao ano, em média.


Reserva Particular do Patrimônio Natural de Salto Morato


 Reserva Particular do Patrimônio Natural de Salto Morato

Reserva Particular do Patrimônio Natural de Salto Morato

Reserva Particular do Patrimônio Natural de Salto Morato – Imagem em Alta Resolução



Floresta Nacional de Irati - é uma área de vegetação florestal de espécies nativas ou plantadas, cujo objetivo é o uso sustentável dos recursos florestais e a pesquisa científica. Fica na região dos municípios de Fernandes Pinheiro e Irati. Foi criada em 1968 e nela há uma das maiores concentrações de Mata de Araucárias (pinheiro-do-paraná). Há também espécies de imbuia, erva-mate, bracatinga, cedro e carvalho. Lá é possível encontrar animais como: gralha-azul, sabiá, tiriva, periquito, veado, macaco-prego, paca, cotia, capivara, entre outros. Nas áreas reflorestadas, há um sistema de exploração de madeira em forma de manejo, viveiro de mudas florestais e ornamentais, apicultura e exploração de erva-mate. É permitida a visitação.


Floresta Nacional de Irati


 Floresta Nacional de Irati

Floresta Nacional de Irati

Floresta Nacional de Irati – Imagem em Alta Resolução





Glossário


Tombado: ato realizado por órgão competente governamental com o objetivo de preservar bens de valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e também de valor sentimental para a população, impedindo que venham a ser destruídos ou descaracterizados de sua forma original.

Formações areníticas: provêm de uma rocha denominada arenito de coloração avermelhada. O arenito de Vila Velha foi originado durante o Período Carbonífero, há aproximadamente 340 milhões de anos.

Eras geológicas: trata-se da divisão do tempo geológico da Terra (aproximadamente 4 bilhões de anos), em grandes intervalos de tempo, em que são registrados a origem, as formações, as transformações e a evolução da Terra. As eras geológicas são: Era Proterozoica, Era Paleozoica, Era Mosozoica, Era Cenozoica e Era Antropozoica.




  Áreas de preservação do estado do Paraná

Conteúdo correspondente: