As primeiras bandeiras no estado de São Paulo



Especialmente na capitania de São Vicente, chegaram muitos homens em busca da promessa de encontrar ouro e prata. No entanto, nessa capitania habitavam índios temidos pelos portugueses, tais como os carijós. Em 1585, sabe-se de uma das primeiras expedições que vieram com a intenção de combater aqueles índios e escravizá-los. Essa primeira expedição – que também ficou conhecida como a primeira bandeira – foi liderada por Jerônimo Leitão.

Jerônimo Leitão veio para o Brasil em 1530, na expedição de Martim Afonso de Souza, casou-se em São Vicente, com Inês Castelo, e governou esta capitania durante 20 anos.

Outras expedições chegaram ao litoral paulista na tentativa de encontrar metais preciosos. No entanto, as reservas de metais preciosos não eram muito grandes e o ouro logo se esgotou. Esses colonos foram obrigados, então, a partir rumo ao planalto, onde atualmente fica a cidade de São Paulo, para garantir sua sobrevivência.

Naquele planalto, os colonos passaram a viver da caça, da coleta e da agricultura de subsistência. Plantavam trigo, algodão, árvores frutíferas e algumas raízes, cujo cultivo fora aprendido com os indígenas.

De modo geral, os bandeirantes não levavam provisões de alimentos, mesmo nas viagens longas. Carregavam apenas sal, utensílios de cozinha, como pratos de estanho, cuias, e redes de dormir. Pescavam nos rios, caçavam, colhiam as frutas silvestres das matas, o mel, o pinhão e o palmito das roças indígenas, alimentavam-se de carne de cobra, lagartos e sapos ou rãs. Se a água faltava, tentavam encontrá-la nas plantas, mascavam folhas e roíam raízes.

Houve grande resistência por parte dos padres jesuítas contra as bandeiras em virtude da caça e aprisionamento de índios cometidos pelos bandeirantes.


Mapa de missões e bandeiras


Mapa de missões e bandeiras

Mapa de missões e bandeiras









Conteúdo correspondente: