O crescimento populacional no estado de São Paulo



Por que será que algumas áreas são mais populosas que outras? Dois fatores são responsáveis pelo crescimento populacional: o crescimento natural e a migração.

O crescimento natural, também conhecido como crescimento vegetativo, é o resultado de uma taxa expressa em percentual do crescimento populacional, estabelecendo a diferença entre o número de nascimentos e o número de mortos de um local, estado ou país, num período de tempo.

Já a distribuição da população no espaço geográfico também tem influência do movimento das pessoas, ou seja, é o ir e vir das pessoas dentro do território do estado. Esse movimento pode ser da zona rural para a cidade, de um município para outro, ou de um estado para outro. Esse deslocamento chama-se migração.

A população migra por vários motivos e fixa residência em outros lugares em busca de oportunidades de trabalho, de educação, melhor qualidade de vida, entre outros.

Por muitos anos, a região metropolitana de São Paulo foi a que mais recebeu migrantes, porém, nos últimos dez anos as áreas mais procuradas pelos migrantes foram: as cidades do litoral paulista, na área metropolitana da Baixada Santista, e as do interior do estado, como Campinas, Sorocaba e Ribeirão Preto, cidades que apresentaram um elevado crescimento populacional nos últimos dez anos, onde concentram oportunidades de trabalho e outros atrativos.




As mulheres na construção do estado de São Paulo


As mulheres sempre tiveram um importante papel na construção do estado de São Paulo, independente das funções que exerciam, muitas vezes ligadas à administração do lar e às atividades de produção da economia doméstica.

Na atualidade, cada vez mais as mulheres assumem lugares de destaque na sociedade, desenvolvendo todo tipo de atividade econômica, dentro e fora do lar.

Em 1996, no Brasil, as mulheres se organizaram em todo o país e, com o movimento Mulher Sem Medo do Poder, aumentaram o número de vereadoras e prefeitas em todo o território nacional. Como resultado dessa mobilização, nesse mesmo ano, o Congresso Nacional incluiu o sistema de cotas na Legislação Eleitoral, obrigando os partidos políticos a inscrever, no mínimo, 20% de mulheres em suas chapas proporcionais, e a Lei n.o 9.504/97 elevou a cota para 30%, sendo que para 1998 foi definido 25% das vagas. Em 2010, o Brasil elegeu Dilma Rousseff a primeira mulher a ocupar a Presidência do país, além de duas governadoras e seis senadoras.

Na atualidade, as mulheres exercem importante função no mercado de trabalho, em todos os setores da economia nacional.


As mulheres trabalhavam na colheita do café nas fazendas paulistas no início do século XX.


 As mulheres trabalhavam na colheita do café nas fazendas paulistas no início do século XX.

As mulheres trabalhavam na colheita do café nas fazendas paulistas no início do século XX.




As mulheres exercem importante função no mercado de trabalho, em todos os setores


 Na atualidade, as mulheres exercem importante função no mercado de trabalho, em todos os setores da vida nacional.

Na atualidade, as mulheres exercem importante função no mercado de trabalho, em todos os setores.









Conteúdo correspondente: