O Diário de Anne Frank


Sexta-feira, 9 de outubro de 1942


Querida Kitty


Hoje só tenho notícias tristes e deprimentes para lhe contar. Nossos amigos judeus estão sendo levados embora às dúzias. Essa gente está sendo tratada pela Gestapo sem um mínimo de decência. São amontoados em vagões de gado e enviados para Westerbork, o grande campo de concentração para judeus, em Drente. Westerbork parece ser terrível: um único lavatório para centenas de pessoas e muito poucas privadas. Não há acomodações separadas para homens e mulheres, e todos têm que dormir juntos. Dizem que há muita imoralidade por causa disso, e muitas mulheres e até mocinhas obrigadas a ficar lá por muito tempo ficam esperando bebê.

Fugir é impossível; os internados ficam marcados pela sua cabeça raspada ou pela sua aparência judia.

Se é tão ruim na Holanda, imagine o que não será nas regiões bárbaras e distantes para onde são enviados? Sabemos que a maioria é assassinada. A rádio inglesa fala de morte em câmaras de gás.

Talvez esse seja o meio mais rápido de morrer. Estou terrivelmente nervosa. Mas eu não conseguia desgrudar da sala enquanto Miep contava essas coisas horríveis. Ela também está muito perturbada com tudo isso. Há pouco tempo, por exemplo, uma pobre judia, velha e aleijada, estava sentada à sua porta. Os homens da Gestapo lhe haviam ordenado que não saísse dali até que um carro a fosse apanhar. A pobre infeliz estava aterrorizada pelas bombas que as baterias antiaéreas atiravam contra os aviões ingleses e pelos poderosos fachos de luz dos refletores. Mas Miep não se atreveu a mandá-la entrar; ninguém correria esse risco. Os alemães atacam sem a menor piedade. Elli também está muito quieta. Seu namorado teve de partir para a Alemanha. Ela teme que os aviadores que sobrevoam nossas casas deixem cair suas bombas — algumas delas chegam a pesar um milhão de quilos — na cabeça de Dirk. Dizer piadas como "não é provável que ele ganhe um milhão" ou "uma bomba só é suficiente" é brincadeira de muito mau gosto. A verdade é que Dirk não foi o único que teve de partir. Trens abarrotados de rapazes partem diariamente. Às vezes, ao pararem em alguma pequena estação no meio do caminho, uns poucos conseguem fugir. Infelizmente ainda não terminei com as más notícias. Você já ouviu falar em reféns? Não posso imaginar nada mais horrível.

Cidadãos notórios — gente inocente — são atirados na prisão à espera do seu destino. Se o sabotador não for encontrado, a Gestapo simplesmente fuzila cinco reféns. As notícias dessas mortes aparecem freqüentemente nos jornais. Essas afrontas são descritas como "acidentes fatais". Boa gente, os alemães! E pensar que eu já fui alemã! Não, Hitler tirou nossa nacionalidade há muito tempo. Na verdade, alemães e judeus são os maiores inimigos do mundo.


Sua Anne.




O Diário de Anne Frank - Links

Conteúdo correspondente: