O Diário de Anne Frank


Segunda-feira, 6 de março de 1944


Querida Kitty


Pela expressão de Peter percebo que ele pensa tanto quanto eu, e ontem à noite, ao ouvir a sra. Van Daan chamá-lo zombeteiramente de O Pensador, fiquei irritada. Peter ficou vermelho, encabulado, e eu quase explodi.

Por que é que essa gente não cala a boca?

Você não imagina como é horrível ter de ficar calada, assistindo a sua humilhação, sem poder fazer nada para ajudá-lo. Imagino perfeitamente — como se estivesse no lugar dele — o desespero que deve sentir quanto às brigas e ao amor. Pobre Peter, precisa tanto de amor!

Quando ele disse que não precisava de amigos, como suas palavras soaram falsas em meus ouvidos! Que engano o dele! Agarra-se à sua solidão, à sua indiferença fingida e aos seus modos de adulto, mas é apenas uma máscara que encobre seus verdadeiros sentimentos. Pobre Peter, por quanto tempo ainda conseguirá representar esse papel? É um esforço sobrehumano, e ele acabará explodindo.

Oh, Peter, se eu ao menos pudesse ajudar você, se você me deixasse! Juntos, poderíamos afugentar a sua e a minha solidão.

Penso muito e falo pouco. Sou feliz quando o vejo, e se estou a seu lado brilha o sol. Ontem, fiquei nervosíssima enquanto lavava o cabelo, pois sabia que ele estava no quarto pegado ao nosso. Não consegui controlar-me; quanto mais silenciosa e pensativa me sinto interiormente, mais barulhenta me torno exteriormente.

Quem será o primeiro a me descobrir como ser e a atravessar esta armadura? Ainda bem que os Van Daan têm um filho e não uma filha; minha conquista jamais teria sido tão difícil, nem tão compensadora, se não se dirigisse a alguém do sexo oposto.


Sua Anne.


P. S. — Você bem sabe que sou sincera até demais, portanto devo lhe confessar que estou vivendo de um encontro para outro. E estou sempre querendo descobrir que ele também espera por mim o tempo todo. Fico radiante se noto alguma tentativa de aproximação da parte dele, por menor que seja. Acho que ele desejaria dizer uma porção de coisas, tal como eu; nem de longe pode imaginar que é justamente sua falta de jeito que me encanta.





O Diário de Anne Frank - Links

Conteúdo correspondente: