O Diário de Anne Frank


Segunda-feira, 8 de maio de 1944


Querida Kitty


Alguma vez já lhe falei a respeito de nossa família?

Creio que não, por isso vou começar. Os pais de meu pai eram muito ricos. O pai dele trabalhou muito, e a mãe era de família importante, rica também. Papai foi, portanto, criado como rapaz rico, freqüentando festas, bailes, jantares, tendo garotas bonitas à sua volta, morando em uma casa grande, etc, etc.

Depois da morte de vovô, a fortuna se perdeu durante a I Guerra Mundial e na inflação que se seguiu. Papai teve, portanto, uma educação requintada e, ontem à noite, riu muito, quando, com cinqüenta e cinco anos, pela primeira vez na vida surpreendeu-se a raspar uma frigideira, na mesa.

Os pais de mamãe também eram ricos, e é freqüente ouvirmos, admirados, histórias de festas de noivado para duzentas e cinqüenta pessoas, bailes particulares e jantares. Agora, certamente, ninguém pode dizer que somos ricos, mas todas as minhas esperanças repousam no pós-guerra.

Posso garantir que uma existência estreita como a de mamãe e Margot não me atrai em nada. Adoraria passar um ano em Paris e um ano em Londres, aprendendo idiomas e história da arte. Compare minhas aspirações à de Margot, que deseja ser parteira na Palestina! Minha vontade é ter vestidos bonitos e conhecer gente interessante.

Quero conhecer o mundo e fazer uma porção de coisas diferentes, e, nesse caso, um pouco de dinheiro não faz mal a ninguém.

Miep nos contou hoje de uma festa de noivado a que foi. Tanto o noivo como a noiva eram de famílias ricas, e tudo era luxuoso. Miep nos deixou com água na boca contando as coisas que havia para comer: sopa de legumes com delicados bolinhos de carne, dentro, queijos, pãezinhos, hors-d'œuvres com ovos e rosbife, bolos enfeitados, vinhos e cigarros, tudo à vontade (mercado negro). Miep tomou dez drinques, e diz que é abstêmia, imagine! Se Miep bebeu desse jeito, quanto não terá bebido seu marido! Naturalmente, todo mundo ficou um tanto alto na festa. Havia lá dois policiais da tropa de choque tirando fotografias dos noivos. Pelo visto, Miep jamais nos tira do pensamento, pois imediatamente ela apanhou os endereços desses homens, para o caso de acontecer qualquer coisa e a gente precisar dos serviços de dois bons holandeses.

Ficamos com água na boca. Nós, que pela manhã só comemos duas colheres de mingau, que vivemos com a barriga vazia a roncar; nós, que entra dia sai dia só comemos espinafre malcozido (para conservar as vitaminas) e batatas meio estragadas; nós, que só temos nos estômagos vazios alface cozida ou crua e espinafre e mais espinafre. Talvez cheguemos a ser fortes como Popeye, embora, por enquanto, estejamos longe disso.

Se Miep nos tivesse levado à festa, não teríamos deixado nem um pãozinho para os outros convidados. Kitty, nós literalmente arrancamos as palavras da boca de Miep, juntamonos à volta dela como se nunca na vida tivéssemos ouvido falar em comida deliciosa ou gente elegante.

E estes são os netos de milionários! Este mundo é um lugar estranho!


Sua Anne.




O Diário de Anne Frank - Links

Conteúdo correspondente: