O Diário de Anne Frank


Quinta-feira, 25 de maio de 1944


Querida Kitty


Cada dia uma notícia nova. Esta manhã foi preso o nosso verdureiro, por abrigar em casa dois judeus. Foi para nós um golpe duro, não só por sabermos que aqueles pobres judeus estão agora à beira do abismo, mas pelo próprio homem.

O mundo está virando, gente respeitável vai para os campos de concentração, prisões e celas solitárias, enquanto uma escória fica a governar velhos e moços, ricos e pobres. Um é apanhado na armadilha por causa do mercado negro, outro, porque auxilia judeus ou outras pessoas que precisam ir para o underground; qualquer um que não seja membro do NSB não sabe o que lhe poderá acontecer, de um dia para o outro.

A prisão desse homem representa grande perda para nós. As meninas não podem, nem lhes é permitido, transportar nossa ração de batatas; portanto, a única solução é comer menos. Vou lhe contar o que faremos, e é claro que não será coisa agradável. Mamãe diz que cortaremos de uma vez a refeição da manhã, comendo pão e mingau à hora do almoço e batatas fritas ao jantar. Se for possível, uma ou duas vezes por semana teremos legumes ou alface, e mais nada. Passaremos fome, mas qualquer coisa é preferível a sermos descobertos.


Sua Anne.




O Diário de Anne Frank - Links

Conteúdo correspondente: