O Diário de Anne Frank - EPÍLOGO


O diário de Anne Frank termina aqui. No dia 4 de agosto de 1944 a Polícia de Segurança alemã, acompanhada por alguns holandeses nazistas, deu uma batida no escritório geral, obrigando Kraler a revelar a entrada para o Anexo Secreto. Todos os seus ocupantes, assim como Kraler e Koophuis, foram presos. No dia 3 de setembro, os prisioneiros judeus, após um período em Westerbork (o principal campo de concentração alemão na Holanda), foram enviados, amontoados em vagões de gado, para Auschwitz, o mais famoso centro de exterminação, na Polônia ocupada. (Kraler e Koophuis ficaram em campos de concentração holandeses durante alguns meses, antes de serem libertados.)

O Anexo Secreto foi saqueado e destruído durante a batida policial. Alguns dias depois, misturados aos jornais velhos e lixo espalhados pelo chão, um limpador encontrou os cadernos onde Anne escrevera seu diário. Não sabendo do que se tratava, entregou-os a Miep e Elli. As duas moças, durante um severo interrogatório alemão a que foram submetidas, negaram terminantemente sua ajuda ao pequeno grupo judeu, e assim foram liberadas e salvas. Tendo guardado cuidadosamente o diário de Anne, entregaram-no a seu pai, Otto Frank, na sua volta, após o término da guerra.

Enquanto isso, os mais velhos do grupo adoeciam sob as terríveis condições de vida em Auschwitz. Van Daan foi mandado para a câmara de gás. Otto Frank escapou por um verdadeiro milagre, pois tinha sido enviado para um campo-hospital em novembro, e ali se encontrava ainda quando o campo foi libertado pelas forças soviéticas em 27 de janeiro de 1945. Juntamente com alguns poucos sobreviventes, ele foi removido para a Galícia e finalmente chegou ao porto de Odessa, no mar Negro, onde um navio neozelandês o conduziu de volta à Europa Oriental. Os outros prisioneiros do campo, cerca de onze mil, foram evacuados pelos alemães, à medida que os russos avançavam. Entre eles estava Peter van Daan, de quem nunca mais se teve notícia.

A caminho de Odessa, Otto Frank soube por um amigo holandês que sua mulher morrera a 5 de janeiro.

Quanto às duas meninas, foram enviadas para Bergen-Belsen, na Alemanha, dois meses após a morte da mãe. Ali Anne mostrou as mesmas qualidades de coragem e paciência na adversidade que a haviam caracterizado em Auschwitz. Em fevereiro de 1945, as duas irmãs contraíram tifo. Um dia, Margot, deitada numa enxerga ao lado da irmã, tentou levantar-se, mas, enfraquecida, caiu ao chão. No seu estado de doença e fraqueza, o choque foi mortal. A morte da irmã fez a Anne o que nada até então conseguira fazer: quebrantar seu espírito.

Alguns dias depois, em princípio de março, Anne morreu.




NOTAS


[1] Joodse Invalide: Uma instituição de caridade israelita.

[2] Koenen: Conhecido dicionário holandês.

[3] Mevrouw: Madame, em holandês.

[4] Hanuká:Festa móvel judaica, das Luzes, celebrada alguns dias antes do Natal cristão.

[5] Dam: Praça defronte ao Palácio Real

[6] Offiziersheim: Abrigo de oficiais alemães

[7] Traduzido literalmente, sem preocupações de rima.

[8] Preços da época, sem equivalente atual

[9] Schiphol: Aeroporto de Amsterdam.

[10] (du spatst schon!) "Você está fazendo uma sujeira!"

[11] (Donnerwetter-nocheinmal) Em alemão, xingamento, correspondente a "raios o partam".

[12] Opklap: Cama holandesa, que durante o dia pode ser dobrada contra a parede, formando uma estante com cortinas.

[13] "Grande é o espírito do homem / E mesquinhos, seus atos!"

[14] ("Himmelhoch jauchzend und zum Tode betrübt") Famoso verso de Goethe: "No topo do mundo, ou no mais profundo desespero".

[15] Mumsie: "Mãezinha."

[16] Sofria de grave moléstia.

[17] Grandma: Avó paterna.

[18] Granny: Avó materna.

[19] Bredero: Escritor holandês.

[20] Nas casas judias acendem-se velas, na noite do sabá.

[21] Avó em alemão.

[22] O título original deste diário era Het Achterhuis. Não há tradução exata. A mais aproximada é Anexo secreto.

[23] NSB: Movimento Nacional-Socialista Holandês.

[24] Bolkenstein, Gerbrandy: Dois membros do governo holandês, exilados na Inglaterra no tempo da guerra.

[25] Het achterhuis: Título holandês deste livro.

[26] Em inglês no original.

[27] No original, este texto saiu em inglês.

[28] Mussert: Líder nacional-socialista holandês.

[29] Em inglês no original: "Mau tempo ininterrupto até 30 de junho".

[30] Na Holanda, todos os produtores são obrigados a vender seus produtos em leilão público.





O Diário de Anne Frank - Links

Conteúdo correspondente: