Luís Vaz de Camões - Soneto 45 - Leda Serenidade Deleitosa





Luís Vaz de Camões - Soneto 45 - Leda Serenidade Deleitosa


Leda serenidade deleitosa,

Que representa em terra, um paraíso;

Entre rubis e pérolas doce riso,

Debaixo de ouro e neve cor-de-rosa;


Presença moderada e graciosa,

Onde ensinando estão despejo e siso

Que se pode por arte e por aviso,

Como por natureza, ser formosa;


Fala de que ou já vida, ou morte pende,

Rara e suave; enfim, Senhora, vossa;

Repouso na alegria comedido;


Estas as armas são com que me rende

E me cativa amor; mas não que possa

Despojar-me da glória de rendido.




 Luís Vaz de Camões - Soneto 45 - Leda Serenidade Deleitosa

Conteúdo correspondente: