Natureza e condições ambientais do Mato Grosso do Sul



A natureza com seus elementos (vegetação, clima, relevo) produz diferentes paisagens e o ser humano transforma estes espaços para atender a suas necessidades de alimentação, moradia, etc. Portanto, as paisagens resultam da combinação de elementos naturais, culturais e humanizados.

Observe algumas paisagens do estado.


Rio Miranda na região de Corumbá (MS)


 Rio Miranda na região de Corumbá (MS)

Rio Miranda na região de Corumbá (MS)




Vista aérea de Chapadão do Sul (MS)


 Vista aérea de Chapadão do Sul (MS)

Vista aérea de Chapadão do Sul (MS)




Colheita de milho em Dourados (MS).


 Colheita de milho em Dourados (MS).

Colheita de milho em Dourados (MS). Lavoura de milho substitui a soja no inverno e simboliza a pujança do agronegócio nas terras férteis do estado.



Você observou, nas imagens retratadas, que os espaços naturais podem ser modificados pela interferência e trabalho do ser humano, e assim surgem os espaços geográficos.

Chamamos de paisagens culturais ou humanizadas os espaços geográficos que possuem elementos naturais e culturais. Portanto, o espaço geográfico é essa transformação do meio natural, é o produto da atuação do homem sobre o meio em que vive.

Ao observar uma paisagem é possível identificar os elementos que atuam sobre um determinado espaço geográfico.

Veja a paisagem a seguir.


Corumbá (MS), cidade situada às margens do rio Paraguai


 Corumbá (MS), cidade situada às margens do rio Paraguai

Corumbá (MS), cidade situada às margens do rio Paraguai



Essa paisagem é constituída por elementos culturais e naturais. Os culturais são: a cidade, as ruas, as pessoas, as embarcações, as edificações, o porto; enquanto os naturais são: a vegetação nativa, o relevo, o clima, o solo e o rio Paraguai.

Os elementos naturais exercem influência um sobre o outro. Por exemplo, a vegetação de um lugar se relaciona com o tipo de clima, solo e relevo, ou seja, depende desses elementos.




Conhecendo esses elementos



Vegetação: trata-se de um conjunto de plantas nativas que adquirem características em função do clima, relevo e umidade local.


O Pantanal é uma imensa planície de áreas alagáveis


  O Pantanal é uma imensa planície de áreas alagáveis

O Pantanal é uma imensa planície de áreas alagáveis, na qual a paisagem altera-se em duas estações bem definidas: seca e chuvosa. Nos meses de abril a setembro é a estação seca ou inverno, em que a vegetação de gramínea é aproveitada para as pastagens do gado bovino; já nos meses de outubro a março tem início o período das chuvas, o clima fica quente e úmido e a região transforma-se em um imenso alagado, onde os rios transbordam e surgem banhados e lagoas. Este clima, associado a elementos como relevo e hidrografia, influencia de forma intensa a dinâmica ecológica e permite a existência de uma vegetação variada e de grande biodiversidade na flora e fauna local.





Relevo: são as formas que se apresentam na superfície terrestre como: planícies, morros, serras, planaltos, chapadas, vales e depressão.


Paisagem da Serra de Maracaju com Morro Azul ao fundo à direita, Aquidauana (MS).


Paisagem da Serra de Maracaju com Morro Azul ao fundo à direita, Aquidauana (MS).

Paisagem da Serra de Maracaju com Morro Azul ao fundo à direita, Aquidauana (MS).





Solo: é a camada mais superficial da terra onde plantamos e construímos nossas moradias. O solo é composto por matéria orgânica e minerais.


Estância Gávea em Campo Grande (MS)


   Estância Gávea em Campo Grande (MS)

Estância Gávea em Campo Grande (MS)





Clima: é o conjunto dos fenômenos atmosféricos como: temperatura, chuvas, altitude, latitude, os quais são medidos ao longo de alguns anos, em uma localidade ou região. O clima exerce forte influência no desenvolvimento das plantas e no regime dos rios.


Águas invadindo ruas e avenidas durante temporal em Campo Grande (MS)


  Águas invadindo ruas e avenidas durante temporal em Campo Grande (MS)

Águas invadindo ruas e avenidas durante temporal em Campo Grande (MS)





Rios: são cursos fluviais em que o traçado e a velocidade de suas águas dependem muito do tipo de relevo por onde correm.


Rio da Prata em Bonito (MS)


  Rio da Prata em Bonito (MS)

Rio da Prata em Bonito (MS)



Entre os muitos rios existentes no estado, o maior é o rio Paraguai, que com seus afluentes forma a bacia hidrográfica do rio Paraguai, que corre no sentido de noroeste para o sudoeste, com aproximadamente 2 621 km de extensão, desde a sua nascente no Mato Grosso, na chapada dos Parecis até a sua foz no rio Paraná.

Dentro do território brasileiro percorre aproximadamente 1 300 km. A navegabilidade do rio é possível de Cáceres (MT) até Porto Murtinho (MS).

Mesmo antes da chegada dos colonizadores no século XV, o rio já era utilizado pelas populações canoeiras (nativos), que utilizavam embarcações a remo para se locomoverem e buscarem o seu sustento. Praticavam o manejo do arroz silvestre nas planícies pantaneiras. A partir dos séculos XVI e XVII o rio foi frequentado e navegado por expedições espanholas que buscavam acesso à região inca, em busca de ouro e prata. E por volta do século XVII, com a descoberta de ouro em Cuiabá, e a fundação de Vila Bela (hoje Cáceres), os portugueses utilizaram o rio como caminho até Cuiabá. No século XIX o rio foi utilizado para escoar a produção de erva-mate produzida em terras mato-grossenses.


Rio Paraguai


 Rio Paraguai

Rio Paraguai









Conteúdo correspondente: