Bacias hidrográficas do Mato Grosso do Sul



O estado do Mato Grosso do Sul é bem servido de rios. Observe, no mapa a seguir, as bacias hidrográficas que drenam as terras do estado.


Mato Grosso do Sul – bacias hidrográficas


 Mato Grosso do Sul – bacias hidrográficas

Mato Grosso do Sul – bacias hidrográficas



Você deve ter percebido que é o relevo que orienta a direção das águas na superfície terrestre. As águas vão percorrendo o terreno de um nível mais elevado para outro mais baixo.

No mapa das bacias hidrográficas, ficou bem fácil identificar a Serra de Maracaju como um grande divisor de águas, separando os rios que correm em direção ao rio Paraná a leste e os que vão em direção ao rio Paraguai a oeste.

Por isso, o relevo tem grande influência na rede hidrográfica de uma região, pois é ele que determina os limites entre as bacias hidrográficas, estabelecendo os divisores de água, e também para que direção essas águas vão.

Portanto, a Serra de Maracaju é o divisor de águas que delimita as duas vertentes dos rios do estado. Rios da vertente do Pantanal e rios da vertente do rio Paraná, que dentro dos limites do Mato Grosso do Sul, formam as duas bacias hidrográficas do estado.

O declive entre o divisor de águas e o rio principal por onde correm os afluentes chama-se vertente.


Esquema de um declive entre o divisor de água e o rio principal


 	Esquema de um declive entre o divisor de água e o rio principal

Esquema de um declive entre o divisor de água e o rio principal



Os rios têm grande importância para as populações desde os mais remotos tempos, pois deles se obtêm água para consumo, irrigação para plantações, manancial de alimentos (peixes), vias naturais de circulação de embarcações para transportar pessoas e produtos. Além disso, suas águas são utilizadas para a produção de energia elétrica.

Vamos conhecer a utilização dos rios da bacia do rio Paraguai.

A rede hidrográfica desta bacia é formada por aproximadamente 175 rios, sendo o principal o rio Paraguai e os seus maiores afluentes são: Miranda, Taquari, Coxim, Aquidauana, Nabileque, Apa, Negro. Esses rios percorrem relevo de planície com pouca declividade, por isso correm “mansamente”, fazendo um traçado sinuoso (curso de meandros). Por este motivo os rios desta bacia não têm aproveitamento para produção de energia hidrelétrica.

As águas dos rios da região pantanal estão intimamente ligadas às atividades das populações locais como: atividade pesqueira artesanal das populações ribeirinhas, atividades ligadas ao ecoturismo, pesca esportiva e criadores de gado. As atividades de lazer e turismo são amplamente aproveitadas em grande parte dos rios.

A navegação comercial é realizada no trecho brasileiro do rio Paraguai e ocorre principalmente entre Corumbá e Porto Murtinho.

Conhecer as características da bacia hidrográfica em que vivemos é importante para entender, compreender e desenvolver atitudes positivas de sustentabilidade para toda a comunidade que vive e faz aproveitamento dos recursos hídricos locais.







Conteúdo correspondente: