João da Cruz e Sousa - Broquéis - 09 - Clamando...





João da Cruz e Sousa - Broquéis - 09 - Clamando...


Bárbaros vãos, dementes e terríveis

Bonzos tremendos de ferrenho aspeto,

Ah! deste ser todo o clarão secreto

Jamais pôde inflamar-vos, Impassíveis!


Tantas guerras bizarras e incoercíveis

No tempo e tanto, tanto imenso afeto,

São para vós menos que um verme e inseto

Na corrente vital pouco sensíveis.


No entanto nessas guerras mais bizarras

De sol, clarins e rútilas fanfarras,

Nessas radiantes e profundas guerras...


As minhas carnes se dilaceraram

E vão, das llusões que flamejaram,

Com o próprio sangue fecundando as terras...



João da CRUZ E SOUSA (1861 - 1898) foi um poeta brasileiro, considerado um dos precursores do movimento simbolista no Brasil. Seus poemas são marcados pela musicalidade e pelo sensualismo, mesclado com uma espiritualidade e religiosidade de maneira às vezes espantosa. Broquéis foi seu livro de estréia, e contém algumas de suas obras mais famosas, como o poema Antífona, peça de abertura do livro.




 João da Cruz e Sousa - Broquéis - 09 - Clamando...

Conteúdo correspondente: