MENU

Poema

Fábula - O pássaro e a flor - Castro Alves

Era num dia sombrio
Quando um pássaro erradio
Veio parar num jardim.
Aí fitando uma rosa,
Sua voz triste e saudosa,
Pôs-se a improvisar assim.

O Navio Negreiro - Castro Alves
Amor é fogo que arde sem se ver - Luís Vaz de Camões
Canção do exílio - Gonçalves Dias
Lembrança de Morrer - Álvares de Azevedo
O Diário de Anne Frank - PDF
Vozes d'África - Castro Alves
Busque Amor Novas Artes, Novo Engenho - Luís Vaz de Camões
A Canção do Africano - Castro Alves
Versos íntimos - Augusto dos Anjos
Psicologia de um Vencido - Augusto dos Anjos
Ismalia - Alphonsus de Guimaraens
Antífona - João da Cruz e Sousa
As Pombas - Raimundo Correia
Ela - Machado de Assis
Motivo - Cecilia Meireles
À Cidade da Bahia - Gregório de Matos
Que falta nesta cidade - Gregório de Matos
Ao braço do mesmo menino Jesus quando apareceu - Gregorio de Matos
Nel mezzo del camim - Olavo Bilac
A Alvorada do Amor - Olavo Bilac

Fábula - O pássaro e a flor - Castro Alves

Era num dia sombrio
Quando um pássaro erradio
Veio parar num jardim.
Aí fitando uma rosa,
Sua voz triste e saudosa,
Pôs-se a improvisar assim.

"ó Rosa, ó Rosa bonita!
Ó Sultana favorita
Deste serralho de azul:
Flor que vives num palácio,
Como as princesas de Lácio,
Como as filhas de 'Stambul.

Corno és feliz! Quanto eu dera
Pela eterna primavera
Que o teu castelo contém...
Sob o cristal abrigada,
Tu nem sentes a geada
Que passa raivosa além.

Junto às estátuas de pedra
Tua vida cresce, medra,
Ao fumo dos narguillés,
No largo vaso da China
Da porcelana mais fina
Que vem do Império Chinês.



O Inverno ladra na rua,
Enquanto adormeces nua
Na estufa até de manhã.
Por escrava - tens a aragem
O sol - é teu louro pajem.
Tu és dele - a castelã.

Enquanto que eu desgraçado,
Pelas chuvas ensopado,
Levo o tempo a viajar,
- Boêmio da média idade,
Vou do castelo à cidade,
Vou do mosteiro ao solar!

Meu capote roto e pobre
Mal os meus ombros encobre
Quanto à gorra... tu bem vês! ...
Ai! meu Deus! se Rosa fora
Como eu zombaria agora
Dos louros dos menestréis!. . .



Então por entre a folhagem
Ao passarinho selvagem
A rosa assim respondeu:
"Cala-te, bardo dos bosques!
Ai! não troques os quiosques
Pela cúpula do céu.

Tu não sabes que delírios
Sofrem as rosas e os lírios
Nesta dourada prisão.
Sem falar com as violetas.
Sem beijar as borboletas,
Sem as auras do sertão.

Molha-te a fria geada...
Que importa? A loura alvorada
Virá beijar-te amanhã.
Poeta, romperás logo,
A cada beijo de fogo,
Na cantilena louçã.

Mas eu?! Nas salas brilhantes
Entre as tranças deslumbrantes
A virgem me enlaçará
Depois cadáver de rosa
A valsa vertiginosa
Por sobre mim rolará.

Vai, Poeta... Rompe os ares
Cruza a serra, o vale, os mares
Deus ao chão não te amarrou!
Eu calo-me - tu descansas,
Eu rojo - tu te levantas,
Tu és livre - escrava eu sou! ...



Mais de sanderlei.com.br

Música - Song
Radar by Sanderlei (TRENDS)
Tudo que rola no mundo musical, incluindo Billboard Hot 100 e músicas de mais de 100 países em 50 diferentes línguas.

PDF Domínio Público
Livros em PDF para Download
Lista completa de Livros em PDF para Download em Domínio Público

Just Go - Viagem Volta ao Mundo
#JustGo - Sanderlei Silveira

Poesia
Poemas by Sanderlei

A Boneca - Olavo Bilac
Descalça vai para a fonte - Luís Vaz de Camões
Língua Portuguesa - Olavo Bilac
Transforma se o Amador na Cousa Amada - Luís Vaz de Camões
Tragédia no lar - Castro Alves
Alma minha gentil que te partiste - Luís Vaz de Camões
A Carolina - Machado de Assis
Como Quando do Mar Tempestuoso - Luís Vaz de Camões
Velhas Árvores - Olavo Bilac
Balada da Neve - Augusto Gil
A mãe do cativo - Castro Alves
Sôbolos rios que vão - Luís Vaz de Camões
Bandido Negro - Castro Alves
Quase - Mário de Sá-Carneiro
A cruz da estrada - Castro Alves
Amar - Florbela Espanca
Budismo Moderno - Augusto dos Anjos
O morcego - Augusto dos Anjos
Porque Quereis, Senhora, que Ofereça - Luís Vaz de Camões
Marabá - Gonçalves Dias
A moleirinha - Guerra Junqueiro
Incensos - João da Cruz e Sousa
Vozes da Morte - Augusto dos Anjos
Cantata à morte de Inês de Castro - Bocage
Fábula - O pássaro e a flor - Castro Alves